RIOS FM 95,7 AO VIVO

Pesquisar
Close this search box.

Aposentadoria no Brasil: como se preparar para o futuro?

Aposentadoria no Brasil

A aposentadoria é um momento importante na vida de qualquer pessoa. É o momento de relaxar, aproveitar os frutos do trabalho e curtir a família e os amigos. No entanto, para muitas pessoas no Brasil, a aposentadoria pode ser um desafio financeiro.

Há uma estatística preocupante no nosso país, onde mais de 90% dos aposentados no Brasil dependem de renda de terceiros para sobreviver, ou seja, temos uma quantidade grande de idosos que não conseguem sobreviver com a renda paga pela previdência pública ou até mesmo não conseguiu ter um planejamento financeiro para aproveitar a sua vida com tranquilidade.

O sistema previdenciário brasileiro, administrado pelo INSS, está enfrentando uma crise. O número de aposentados está crescendo mais rápido do que o número de contribuintes, o que está levando a um déficit crescente. Isso significa que o INSS está pagando mais do que está recebendo, e que o valor das aposentadorias está sendo reduzido.

O déficit do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), sistema público que atende aos trabalhadores do setor privado, deve mais que dobrar até 2060 e quadruplicar até 2100, segundo estimativas da Secretaria do Regime Geral de Previdência Social do Ministério da Previdência Social.

Segundo o Ministério da Previdência, o aumento do rombo previdenciário, que é a diferença entre as receitas e as despesas do INSS, está relacionado com a alta de gastos estimada para as próximas décadas.

A lógica é que, com o aumento da proporção de idosos no país no futuro, também cresçam as despesas com o pagamento de benefícios previdenciários — que não podem ser menores do que um salário-mínimo.

Além disso, a inflação no Brasil vem corroendo o poder de compra da população, e principalmente está corroendo o poder de compra dos aposentados.

Historicamente a inflação anual média no Brasil medida pelo IPCA (5% a.a), dessa forma o salário-mínimo não vem sendo corrigido na mesma proporção. Se fizermos um cálculo da correção do salário-mínimo desde o início do Plano Real (1994) e corrigir o somente o valor do salário-mínimo pela inflação oficial, hoje deveríamos ter um salário-mínimo em torno de R$ 6.000,00, o que sabemos que não é uma realidade.

Diferença entre previdência pública e privada?

A previdência pública é um sistema de aposentadoria financiado por contribuições dos trabalhadores e do governo. A previdência pública tem a vantagem de ser mais acessível, pois as contribuições são menores do que na previdência privada. No entanto, a previdência pública também tem a desvantagem de ser menos previsível, pois o valor das aposentadorias pode ser reduzido dependendo do cenário econômico.

A previdência privada é um sistema de aposentadoria financiado por contribuições dos trabalhadores geralmente ocorrem através de Bancos ou Corretoras de Seguros e Previdência, autorizadas a funcionar pela Susep (Superintendência de Seguros e Previdência) que são fiscalizadas pelo Banco Central e Conselho Monetário Nacional.

A previdência privada tem a vantagem de ser mais previsível, pois o valor das aposentadorias é definido no momento da contratação do plano e você não dependente do governo para garantir sua tranquilidade financeira no futuro.

Como buscar uma aposentadoria tranquila?

Apesar dos desafios, existem oportunidades para buscar uma aposentadoria tranquila. Uma das principais oportunidades é investir em previdência privada.
Os planos de previdência privada oferecem uma variedade de opções para atender às diferentes necessidades e objetivos dos investidores. Os planos de previdência privada mais comuns são os planos PGBL e VGBL.

Planos PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) são voltados para investidores que declaram o Imposto de Renda pelo modelo completo. As contribuições para o PGBL são dedutíveis do imposto de renda, o que pode reduzir o valor do imposto a pagar.

Planos VGBL: (Vida Gerador de Benefício Livre) são voltados para investidores que declaram o Imposto de Renda pelo modelo simplificado ou que não desejam deduzir as contribuições do imposto de renda, geralmente essa modalidade é usada por empresários, profissionais liberais e autônomos.

Dicas para planejar a aposentadoria saudável

Além de investir em previdência privada, existem outras dicas que podem ajudar a planejar uma aposentadoria saudável:

  • Comece a planejar cedo: O ideal é começar a planejar a aposentadoria o quanto antes. Isso dará tempo para acumular o patrimônio necessário para viver com conforto na aposentadoria.
  • Diversifique seus investimentos: Não coloque todos os ovos na mesma cesta. Hoje temos excelentes fundos de investimentos para diversificar os recursos alocados na previdência privada.
  • Considere a inflação: A inflação pode corroer o poder de compra do seu patrimônio ao longo do tempo e acabar levando por água abaixo seu plano de aposentadoria.
  • Tenha um plano de gastos: Faça um plano de gastos para a aposentadoria para garantir que você terá dinheiro suficiente para viver com conforto.
  • Cuidado com as taxas administrativas da previdência privada, existem muitos bancos cobrado altas taxas e reduzindo o rendimento do valor aplicado.
  • Conte com um especialista para avaliar sua situação e montar seu plano de aposentadoria.

E nunca transforme seu plano de previdência privada em renda, pois em caso de falecimento os recursos acumulados ficam com a seguradora.

Desenrola Brasil: Saia das Dívidas e Reconstrua seu Crédito

Desenrola Brasil: saia das dívidas e reconstrua seu crédito

impacto da tecnologia e inovação no mercado financeiro

O dinheiro em espécie vai acabar; impacto da tecnologia e inovação no mercado financeiro

Seca Histórica na economia Amazonense

Impacto da Seca na Economia do Amazonas

Add New Playlist